Copy
Olá,

Naturalização do Consumo: 

Perceba melhor quem são os consumidores "naturais" e que nova tendência é esta.

Bom trabalho!
    
                         
A Adidas lançou umas sapatilhas feitas exclusivamente a partir de lixo dos oceanos.

Um dos maiores desafios a que nos temos dedicado na E.Life é a identificação de tendências de consumo e comportamento a partir de dados abertos – como os que são fornecidos pelo Facebook Audience InsightsGoogle ou redes sociais – espaços nos quais  os internautas verbalizam ou publicam imagens sobre as suas opiniões em relação a produtos e serviços.

Utilizando estes métodos trabalhamos tendências no consumo de bebidas, no cuidado de beleza e cuidados de bebés.

LOHAS: a nova tendência de consumo

Lifestyles Of Health And Sustainability, a nova tendência que quer aproximar o consumo a algo mais natural – seja nos ingredientes adotados ou no ritmo de consumo  – é algo que temos observado em vários estudos feitos pela E.Life ao longo do último ano e que está a crescer um pouco por todo o mundo.

Os consumidores LOHAS, ou seja, consumidores "verdes" ou "naturais" são um grupo difícil de classificar em termos demográficos, de rendimento, idade ou género. No entanto, existem cinco principais categorias de mercado que definem este tipo de consumidor: 

Vida Saudável: preferência por alimentos orgânicos e produtos naturais, com menos ingredientes e fórmulas mais simples. O consumo é ditado pelo tempo do próprio corpo e as suas necessidades. 
Medicina Alternativa: sempre que possível, os medicamentos são substituídos por alternativas caseiras e tratamentos como acupunctura ou quiroprática.
Preocupações Ecológicas: consumidores mais informados que a maioria no que toca à ecologia e, por isso, promovem a reciclagem, a construção e decoração ecológica e o eco-turismo.
Economia Sustentável: Já ouviu falar de Comércio Justo? Energia sustentável ou investimento responsável? Os consumidores "naturais" valorizam todas as práticas de negócio ético e sustentável.

Desenvolvimento Pessoal: perceção da ligação entre o bem-estar físico e o mental e, por isso, um interesse em questões de auto-ajuda, life balance e atividades como o yoga ou o tai chi.


 

O BEBÉ CONSUMIDOR

Os pais partilham os seus hábitos "verdes" com os mais pequenos, como percebemos no estudo “Consumer Trends – Bebés” elaborado pela E.Life.

Na alimentação: para além dos ingredientes serem os mais naturais possíveis, o ritmo de alimentação - desmame e introdução de novas comidas - é comandado pelo bebé, ao que chamamos de baby led weaning (blw) ou desmame guiado pelo bebé. O blw pressupõe que os tempos da criança e o seu ritmo natural sejam respeitados, oferendo-lhe mais autonomia.

Na saúde:  produtos típicos do início de vida como pomadas anestéticas para a fase de formação da dentição são substituídos por frutas congeladas, saquinhos de chá de camomila e outras saídas não-químicas.
 
NA MODA E BELEZA JÁ SÓ SE FALA DE CRUELTY-FREE, VEGAN, LOW-POO, NO-POO...
Compras de produtos de beleza e moda deixam de ser guiadas apenas por fatores como estilo, ou preço e, cada vez mais, pela preocupação em comprar com o menor impacto ambiental possível. A procura por produtos cruelty-free (sem testes em animais), vegan (sem nada de origem animal), naturais ou orgânicos tem vindo a aumentar significativamente.

Exemplo: shampoo, como o low-poo e no-poo – onde substâncias como petrolatos, sulfatos, parabenos, etc, são controladas ou proibidas. Os tradicionais shampoos começam a ser também substituídos por soluções caseiras como o amido de milho e o óleo de coco.

 

MAS PORQUÊ ESTA BUSCA PELO QUE É NATURAL?

O consumidor natural procura pequenos contactos com a natureza e gestos no dia-a-dia como forma de minimizar o impacto de cada um no ambiente.

 
AS MARCAS PROCURAM ENTENDER O COMPORTAMENTO DOS CONSUMIDORES "NATURAIS"

A Nike começou a produzir material de desporto orgânico. A Ford está a produzir SUV's hibridos. A Whole Foods vale 4 biliões de dólares americanos e faz mais negócio por metro quadrado que qualquer outro revendedor americano. A IKEA usa uma variedade de fontes de energia renováveis e táticas de gestão de desperdício.

Um estudo do Natural Marketing Institute, nos EUA, diz que:
15% dos americanos, 
19% dos europeus

estão dispostos a pagar  5x mais por produtos que são produzidos de forma sustentável.
 
80% dos inquiridos expressaram vontade de consumir de forma mais verde.

RESUMINDO...

A identificação de movimentos como o LOHAS é fundamental para que as marcas tomem a dianteira e ajudem os seus consumidores a alcançar os seus objetivos no dia a dia fornecendo educação ou produtos e serviços que estejam alinhados com os ideais dos seus clientes.

CONHEÇA AS TENDÊNCIAS DE CONSUMO DO SEU PÚBLICO 

A E.Life tem-se dedicado ao desenvolvimento de uma oferta de estudos setorizados com foco na inovação e análise de tendências de consumo combinando diversas fontes de dados digitais. 

Fale connosco, aqui!




Copyright © 2017 E.Lifemonitor, Lda. Todos os direitos reservados.






This email was sent to ana.vilela@sa365.pt
why did I get this?    unsubscribe from this list    update subscription preferences
E.life Group · Rua da Restauração, nº83, 3º andar · Porto 4050-503 · Portugal